domingo, 19 de novembro de 2017

25 anos do Hospital IPO é comemorado com livro artístico bilíngüe

Dra. Everlise Chandoha, Diretora do Hospital IPO, ladeada pelas coordenadoras do Livro, Artistas Carla Schwab e Ana Letícia Mansur, com Eloir Jr.-Textos curatoriais
Crédito: Valterci Santos

Hospital IPO - Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia, comemora seu Jubileu de Prata e lança livro artístico bilíngue em alusão ao seu Espaço Cultural.


Livro "Espaço Cultural"
Crédito: Eloir Jr.

Coordenado por Ana Lectícia Mansur e Carla Schwab com textos de Eloir Jr. e design de Oswaldo Fontoura Dias, o livro homenageia 15 artistas paranaenses que marcaram presença com suas obras no Espaço Cultural.  O evento de lançamento foi realizado na última terça-feira(14) no restaurante La Pasta Gialla do Park Shopping Barigui, com a presença de 50 pessoas, para um jantar comemorativo dos artistas e seus convidados, além de representantes da diretoria do hospital.

Artistas homenageados com a Diretora do Hospital IPO-Dra. Everlise Chandoha
Crédito: Valterci Santos


Os artistas homenageados no livro são: Ana Carolina Garcia de Faria, Ana Lectícia Mansur, Carla Schwab, Cecifrance Aquino, Eduardo Bragança, Eloir Jr., Fernanda Alonso, Katia Velo, Kézia Talisin, Luiz Felix, Marcio Prodocimo, Mônica Pailo, Oswaldo Fontoura Dias, Raquel Frota e Ruth Mara.
ix, Marcio Prodocimo, Mônica Pailo, Oswaldo Fontoura Dias, Raquel Frota e Ruth Mara.


Para a diretora-administrativa do IPO, Everlise Chandoha, apoiar iniciativas que incentivam a cultura é uma das premissas do hospital, e sempre serão bem-vindas. “Ficamos muito honrados de comemorar os 25 anos com um livro que reúne obras de artistas talentosos e que compartilham conosco a importância de se investir em cultura, em difusão do conhecimento e de melhoria do ser humano”, avalia.

“As exposições proporcionam uma simbiose entre o artista e o espectador, gerando qualidade de vida em comum, o que enaltece um dos propósitos que a arte labuta em alcançar. E nada melhor do que ser apresentada e apreciada num espaço destinado à saúde que ascende à cultura” relata Eloir Jr., curador do Espaço Cultural.

Brinde com os artistas
Crédito: Valterci Santos



Exposição "Guarda Me Chuva" de Oswaldo Fontoura Dias, no Espaço Cultural do Hospital IPO

Detalhe da Obra
Crédito: Oswaldo F.Dias


Com curadoria de Eloir Jr. e Carla Schwab, o espaço cultural do conceituado Hospital IPO na capital Paranaense, recebe a exposição “Guarda Me Chuva” do artista e design Oswaldo Fontoura Dias.  A mostra faz parte do circuito cultural deste segundo semestre e segue até Fevereiro de 2018.

Crédito: Oswaldo F. Dias

Sobre a exposição:
A arte e o descarte urbano desafiam o sentido de tudo e se relacionam muito bem no século XXI.  Se no passado ambos tinham bem definidos seus significados, em certo momento da era moderna esses conceitos se transformam e o lixo pode virar arte e assim sinaliza para novas ideias, alertas e percepções estéticas.

A conscientização em questões de responsabilidade social e sustentabilidade são contextos foco no labore do artista e designer Oswaldo Fontoura Dias, que apresenta na sua recente produção a integração do descarte urbano em assemblage e acrílicas sobre prancha rígida, como uma forma de reflexão e de compreensão do consumo e o destino de embalagens e resíduos gerados pelo ser humano, o qual se defende dos mesmos através do icônico guarda-chuva, um simples objeto que nos bidimensionais de Oswaldo interage com as figurações e tenta abrigá-las de uma enxurrada de resíduos.  Em “Guarda Me Chuva”, o artista enfatiza em seu trabalho um grito de alerta para não sobrecarregarmos a natureza, mas sim devolver ao meio, obras de arte repletas de questionamentos sobre a cultura consumista.


Artista e Designer Oswaldo F.Dias/Créd: Carla Schwab
Sobre o Artista:
Oswaldo Fontoura Dias é curitibano, graduado em Desenho industrial pela UFPR, tendo freqüentado diversos cursos artísticos em Ateliers, Museus e Centro de Criatividade de Curitiba. Desde 1985 tem participado de mostras individuais, coletivas e salões de arte. Suas obras ilustram livros de arte, agendas e calendários, com acervos no Brasil e no exterior. É mentor de vários projetos relacionados à cultura, destacando o design da araucária iluminada do Palácio Iguaçu. Seu trabalho é citado no dicionário das Artes Plásticas no Paraná, de Adalice Araujo.



Serviço:
Exposição “Guarda Me Chuva” de Oswaldo Fontoura Dias
De 13/11/2017 à 13/02/2018
Horário Livre
Local: Espaço Cultural do Hospital IPO
Endereço: Rua Goiás, 60 - Água Verde
Térreo
41 – 3314-1500
Curitiba-PR

Entrada franca

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Hospital IPO lança livro em comemoração aos seus 25 anos

Os Artistas Visuais e diretora do hospital IPO, Sra. Everlise Chandoha
Crédito: Valterci Santos


Obra reúne trabalho de 15 artistas que tiveram os trabalhos expostos no Espaço Cultural do Hospital

Livro: "Espaço Cultural"
Crédito: Eloir Jr.

Foi lançado nesta última terça-feira (14) o livro “Espaço Cultural” que faz parte das comemorações dos 25 anos do Hospital IPO (Instituto Paranaense de Otorrinolaringologia).  A obra é uma coletânea dos trabalhos expostos no Espaço Cultural do hospital, de 15 artistas locais e convidados que ao longo de três anos compartilharam suas criações com os colaboradores, médicos, pacientes e visitantes do hospital.

Para a diretora-administrativa do IPO, Everlise Chandoha, apoiar iniciativas que incentivam a cultura é uma das premissas do hospital, e sempre serão bem-vindas. “Ficamos muito honrados de comemorar os 25 anos com um livro que reúne obras de artistas talentosos e que compartilham conosco a importância de se investir em cultura, em difusão do conhecimento e de melhoria do ser humano”, avalia.

Os Artistas: Ana Lectícia Mansur, Carla Schwab (coordenadoras do Livro) e Eloir Jr. (Textos curatoriais)
Crédito: Valterci Santos


O livro foi coordenado por Ana Lectícia Mansur e Carla Schwab, com textos de Eloir Jr. e design de Oswaldo Fontoura Dias. Os artistas homenageados no livro são: Ana Carolina Garcia de Faria, Ana Lectícia Mansur, Carla Schwab, Cecifrance Aquino, Eduardo Bragança, Eloir Jr., Fernanda Alonso, Katia Velo, Kézia Talisin, Luiz Felix, Marcio Prodocimo, Mônica Pailo, Oswaldo Fontoura Dias, Raquel Frota e Ruth Mara.


 “As exposições proporcionam uma simbiose entre o artista e o espectador, gerando qualidade de vida em comum, o que enaltece um dos propósitos que a arte labuta em alcançar. E nada melhor do que ser apresentada e apreciada num espaço destinado à saúde que ascende à cultura” relata Eloir Jr., curador do Espaço Cultural.


O evento de lançamento foi realizado no restaurante La Pasta Gialla do Park Shopping Barigui, com a presença de 50 pessoas, para um jantar comemorativo dos artistas e seus convidados, além de representantes da diretoria do hospital.





quarta-feira, 8 de novembro de 2017

La Rauxa Cafè i Bistrot inaugura a exposição “Tramas e Rendas” de Carla Schwab

Divulgação


O temático e elegante La Rauxa Cafè i Bistrot no Ahú em Curitiba-PR, inaugura a exposição individual “Tramas e Rendas” da artista visual Carla Schwab.
Com curadoria de Eloir Jr., a mostra apresenta a atemporal produção da artista, na técnica mista sobre tela PET e estará em cartaz até Janeiro de 2018.

Divulgação


Sobre a exposição:
Do manuseio milenar nos antigos teares, a renda encontra suas tramas, forma desenhos e símbolos e flui atravessando oceanos e aproximando pessoas. Torna-se apátrida, pois podem ser francesas, portuguesas, italianas, eslavas, asiáticas entre outras, e chega a América Latina na forma das tradicionais rendas circulares em nhanduti.

De forma contemporânea e com teor sustentável, a artista Carla Schwab se inspira em suas lembranças, vivências e nas rendas executadas por sua mãe e avó, e cria sua atemporal série “Tramas e Rendas”, ocupando bidimensionais sob um pantone multicolorido. A construção de suas obras figuram entre os filtros de café usados, revistas usadas, tecidos e tintas acrílicas sobre tela da reciclagem de garrafas PET, que interagem sobrepostos e harmoniosamente com o fundo, ora em primeiro plano, ora em meros vestígios visuais de suas rendas unidas por arabescos. Desta forma, pode-se citar que a artista utiliza o pincel como se fosse uma agulha de crochê.

Divulgação


O descarte urbano torna-se matéria prima, origina obras de arte, exterioriza a preocupação da artista com o bem estar do meio ambiente e conscientiza à ação social de cidadania.

Divulgação
Sobre a Artista:
Carla Schwab nasceu em Pelotas-RS e vive em Curitiba-PR. É Artista Visual graduada pela UFPel-RS e Professora de Artes em estudos de materiais e técnicas de pintura. Sua série “Tramas e Rendas” é uma produção atemporal, premiada, com participações em edições da Casa Cor pelo Brasil, Carrousel Du Louvre em Paris, entre outras. Inclui-se em sua produção a impressão sobre canvas, painéis em vidro e aquarelas sustentáveis. 





Serviço:
Exposição “Tramas e Rendas” de Carla Schwab
Local: La Rauxa Cafè i Bistrot
Visitação: 09/11/2017 a 09/01/2018
Das 11h às 19h
Endereço: Rua Eurípedes Garcez do Nascimento, 906 – Ahú
Curitiba-PR

Telefone: 3049-6972

La Rauxa Cafè i Bistrot
Imagem: Divulgação


quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Eloir Jr. inaugura a exposição "FRIDA LA KATRINA" no La Rauxa Cafè i Bistrot

Divulgação

O temático e elegante La Rauxa Cafè i Bistrot no Ahú em Curitiba-PR, inaugura a exposição individual “Frida La Katrina” do artista plástico Eloir Jr.
Com curadoria do próprio artista, a mostra apresenta seis trabalhos inéditos na técnica mista sobre tela e estará em cartaz até outubro de 2017.

Crédito: Kézia Talisin
Panorama expositivo


Sobre a mostra:
Na recente produção “Frida e La Katrina”, o artista estende sua pesquisa de multiculturalidade e representa em suas tradicionais Babuchkas e Matriochkas a personagem do folclore mexicano, a “La Catrina” (nobre Dama da Festa do Dia dos Mortos) em união com a artista Frida Kahlo. Harmoniza-se então a gama das cores fortes e eslavas que também estão presentes na cultura mexicana, simbolismos e peculiaridades inerentes ao dito “pop folk”, que como resultado formata-se na sua assinatura artística de matriochkas /babuchkas. Desta comunhão surge um trabalho alegre, lúdico e colorido, que resgata as memórias culturais trazidas pelos diversos povos, onde o artista consegue demonstrar a convivência harmoniosa das etnias que fazem parte de sua terra natal, a terra de todas as gentes.

Frida Babuszka
Crédito: Kézia Talisin

Crédito: Lex Kozlik 
Sobre o artista:
Eloir Jr. é artista plástico curitibano, pós-graduado pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná e graduado pela Universidade Tuiuti do Paraná, colunista cultural do Sztuka Kuritiba e Revista Paulista, curador e professor de arte. Há 20 anos expõe e estuda as etnias européias no Estado do Paraná, com enfoque principal na cultura eslava da Polônia e Ucrânia, onde expressa seus trabalhos em harmonia com ícones paranistas, araucárias, pinhões e gralha azul. Possui em seu currículo diversas premiações, exposições individuais e coletivas, salões de arte e acervos nacionais e internacionais. Em 2010 representou o Estado do Paraná na cidade francesa de Vaire-Sur-Marne, em 2013 participou de exposição no Carrousel Du Louvre em Paris e em 2016 na Biblioteca Pública de Nova Iorque. 

Serviço:
Exposição “Frida La Katrina” de Eloir Jr.
No La Rauxa Cafè i Bistrot
Visitação: 16/08 a 16/10/2017
Das 11h às 19h
Endereço: Rua Eurípedes Garcez do Nascimento, 906 – Ahú
Curitiba-PR
Telefone: 3049-6972

Entrada Franca

Divulgação
La Rauxa Cafè i Bistrot

sábado, 22 de julho de 2017

Espaço Cultural do Hospital IPO, recebe a exposição “Donna” de Tânia Leal

Divulgação


Com curadoria de Eloir Jr. e Carla Schwab, o espaço cultural do conceituado Hospital IPO na capital Paranaense, inaugura nesta terça, 25/07, a exposição “Donna” da artista Tânia Leal.  A mostra faz parte do circuito cultural deste segundo semestre e segue até 30/10/2017.

Divulgação


Sobre a mostra:
A natureza de seu gênero evidencia a paixão pelo universo feminino e ultrapassa os limites irreais, exterioriza-se nos bidimensionais de Tânia, e nascem do seu gestual as mais belas figurações desta artista mulíebre.

Munidas de sentimentos, estas mulheres podem ser bucólicas e apaixonadas, fortes e ao mesmo tempo sensíveis, pacientes e perseverantes, mas sempre mulheres, todas atemporais e filhas de Eva, e que representadas nas pinturas de Tânia, desfilam num pantone fauvista e transmitem toda a força e emoção do ser feminino.

Vestidas de tintas, estas “Belle Donne” interagem com a natureza, mobiliários, animais e acessórios que a vaidade ostenta, transportando ao cotidiano, cenas narradas em cores expressivas, o que nos dá a impressão de estar sentado ao seu lado aguardando a próxima palavra de uma boa prosa.

Colorido e descontraído é o universo pictórico desta artista, que elegeu o feminino como sua prima linguagem artística e coroa a alma das mulheres com criações ímpares.

Crédito: Felipe Sekula
Sobre a artista: Tânia Leal é natural de Londrina e radicada em Curitiba há mais de três décadas. Artista visual graduada há 40 anos pela UDESC em Florianópolis e Professora de pintura em seu próprio atelier. De lá para cá, participa de inúmeras exposições, salões de arte e mostras internacionais, tendo seu trabalho editado no Guia de Arte Contemporânea durante sua exposição no Carrousel Du Louvre em 2015. Tânia é figurativa e adora o universo feminino. “Pintar é minha libertação”, relata.










Serviço:
Exposição: “Donna” por Tânia Leal
Local: Espaço Cultural do Hospital IPO
Visitação: 25/07 a 30/10/2017
Horário Livre
Endereço: Rua Goiás, 60 - Água Verde
Térreo
41 – 3314-1500
Curitiba-PR

Entrada Franca

Divulgação
Hospital IPO

quinta-feira, 6 de julho de 2017

INAUGURA A EXPOSIÇÃO "MOJE BABUSZKI" DE ELOIR JR., NO AEROPORTO AFONSO PENA

Crédito: Carla Schwab


A Secretaria de Cultura de São José dos Pinhais em parceria com a Infraero inauguraram nesta quarta-feira 05/07, a exposição de Artes Visuais ”Moje Babuszki” no Aeroporto Afonso Pena.

Crédito: Carla Schwab


A mostra que já foi vista com grande sucesso na Casa da Cultura Polonesa Pe. Karol Dworaczek na Colônia Murici está em itinerância cultural e busca despertar o interesse na cultura e na arte da pintura de bonecas de encaixar através das obras do artista plástico Eloir Jr.

Crédito: Carla Schwab


O evento foi prestigiado pelo secretário de cultura de SJP, Sr. Imar Augusto, pelo superintendente da Infraero, Sr. Antonio Filipe Bergmann Barcellos, pela Diretora do Patrimônio Histórico e Artístico de SJP, Sra. Cecília Szenkowicz Holtmann, pela Diretora do Museu Municipal Atílio Rocco de SJP, Sra. Zelinda Fialla, colaboradores da Infraero, artistas locais, convidados e apreciadores de arte.

Crédito: Carla Schwab

    
“Moje Babuszki”, que em polonês significa “Minhas Babuchkas” e carinhosamente “minhas vovozinhas”, é uma coletânea lúdica e sacra, com muita influência eslava, onde o artista expressa seu icônico e preferido tema pictórico através das tradicionais bonecas de encaixar, e neste processo surgem referências as grandes atrizes, lendas e demais personalidades que interagem também com santos católicos em cenários paranistas.  
Os bidimensionais de Eloir Jr. exteriorizam a riqueza cultural das milenares Ucrânia e Polônia, e seus personagens incorporam esta figuração geométrica em harmonia com gralhas azuis, pinhões, araucárias e lambrequins, remetendo a gênese da colonização paranaense.   

Crédito: Carla Schwab 
Sobre o artista:
Nascido em Curitiba-PR, Eloir Jr. é Artista Plástico e curador, pós-graduado pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná e graduado pela Universidade Tuiuti do Paraná. Colunista cultural do Sztuka Kuritiba e Arte&Cultura Paranaense da Revista Paulista.
Expõe profissionalmente seus trabalhos artísticos em mostras individuais, coletivas e salões de arte desde 1997 com participações em algumas edições da Casa Cor Paraná, e obtendo 12 premiações durante este período. Suas obras estão em coleções de acervos nacionais, internacionais e livros de arte e cultura.  
Em 2010 representou com suas pinturas o Estado do Paraná na cidade francesa de Vaire-Sur-Marne, em 2013 participou de exposição no Carrousel Du Louvre em Paris e em 2016 na Biblioteca Pública de Nova Iorque.
Há 20 anos é estudioso das etnias européias que imigraram e colonizaram a terra Paranaense, com enfoque principal na cultura eslava da Polônia e Ucrânia, onde não só expressa a pintura sobre tela, como também o artesanato cultural destes países.
Seu trabalho é alegre, colorido e resgata as memórias culturais trazidas pelos diversos povos. Inspirando-se nos folclores polonês e ucraniano, o artista consegue demonstrar a convivência harmoniosa das etnias com os ícones paranaenses como a gralha azul, araucárias e pinhões.

SERVIÇO:
Exposição de Arte: “MOJE BABUSZKI”
Local: Aeroporto Internacional Afonso Pena
Av. Rocha Pombo, 2730 – Águas Belas
São José dos Pinhais – PR                        
Abertura da exposição: 05/07 às 10h
Período expositivo: até 31/07/2017
Entrada: Gratuita

Classificação: Aberto a todos os públicos

Crédito: Carla Schwab

terça-feira, 4 de julho de 2017

Exposição "Moje Babuszki" de Eloir Jr. no Aeroporto Afonso Pena

Matriochka Palhaço Chic-Chic


A Secretaria de Cultura de São José dos Pinhais, em parceria com a Infraero, realiza nesta quarta-feira 05/07, a exposição de Artes Visuais ”Moje Babuszki” no Aeroporto Afonso Pena. A mostra que já foi vista com grande sucesso na Casa da Cultura Polonesa Pe. Karol Dworaczek na Colônia Murici está em itinerância cultural e busca despertar o interesse na cultura e na arte da pintura de bonecas de encaixar através das obras do artista plástico Eloir Jr.

Babuszki em madeira


“Moje Babuszki”, que em polonês significa “Minhas Babuchkas” e carinhosamente “minhas vovozinhas”, é uma coletânea lúdica e sacra, com muita influência eslava, onde o artista expressa seu icônico e preferido tema pictórico através das tradicionais bonecas de encaixar, e neste processo surgem referências as grandes atrizes, lendas e demais personalidades que interagem também com santos católicos em cenários paranistas.  
Os bidimensionais de Eloir Jr. exteriorizam a riqueza cultural das milenares Ucrânia e Polônia, e seus personagens incorporam esta figuração geométrica em harmonia com gralhas azuis, pinhões, araucárias e lambrequins, remetendo a gênese da colonização paranaense.   

Sobre o artista:
Nascido em Curitiba-PR, Eloir Jr. é Artista Plástico e curador, pós-graduado pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná e graduado pela Universidade Tuiuti do Paraná. Colunista cultural do Sztuka Kuritiba e Arte&Cultura Paranaense da Revista Paulista.
Expõe profissionalmente seus trabalhos artísticos em mostras individuais, coletivas e salões de arte desde 1997 com participações em algumas edições da Casa Cor Paraná, e obtendo 12 premiações durante este período. Suas obras estão em coleções de acervos nacionais, internacionais e livros de arte e cultura.  
Em 2010 representou com suas pinturas o Estado do Paraná na cidade francesa de Vaire-Sur-Marne, em 2013 participou de exposição no Carrousel Du Louvre em Paris e em 2016 na Biblioteca Pública de Nova Iorque.
Há 20 anos é estudioso das etnias européias que imigraram e colonizaram a terra Paranaense, com enfoque principal na cultura eslava da Polônia e Ucrânia, onde não só expressa a pintura sobre tela, como também o artesanato cultural destes países.
Seu trabalho é alegre, colorido e resgata as memórias culturais trazidas pelos diversos povos. Inspirando-se nos folclores polonês e ucraniano, o artista consegue demonstrar a convivência harmoniosa das etnias com os ícones paranaenses como a gralha azul, araucárias e pinhões.

SERVIÇO:
Exposição de Arte: “MOJE BABUSZKI”
Local: Aeroporto Internacional Afonso Pena
Av. Rocha Pombo, 2730 – Águas Belas
São José dos Pinhais – PR                        
Abertura da exposição: 05/07 às 10h
Período expositivo: até 30/07/2017
Entrada: Gratuita

Classificação: Aberto a todos os públicos

Espírito Santo Paranaense

terça-feira, 6 de junho de 2017

24º Sarau Chatô celebrou com sucesso a Ucrânia e o Paraná em Brasília

Foto montagem: Divulgação


O Hípica Hall, elegante espaço cultural em Brasília-DF, recebeu na noite da última quarta-feira, 31/05, a 24ª. Edição do Sarau Chatô, que celebrou a Ucrânia e o Paraná, promovido pela Fundação Assis Chateaubriand e com patrocínio da Petrobras.

Imagem: Divulgação
A vice-governadora do Paraná, Sra. Cida Borghetti, o casal de Embaixadores da Ucrânia no Brasil e sua filha, Exmo.Sr.Rostyslav Tronenko, Exma.Sra. Fabiana Tronenko e a Companhia de Danças Ucranianas Verkhovena de Maringá-PR 


O evento cultural contou com a presença de autoridades e a abertura foi proferida pela vice- governadora do Estado do Paraná, Sra. Cida Borghetti que enalteceu a importância do Paraná, sua multiculturalidade e aspectos gerais, logo após receberam a palavra o casal de Embaixadores da Ucrânia no Brasil, Exmo. Sr. Rostyslav Tronenko e Exma. Fabiana Tronenko, que relataram a importância da imigração histórica ao Paraná e agradeceram nominando todos os expositores convidados, e ressaltaram também o empenho e mérito da realização do evento através da representação do Paraná em Brasília.

Imagem: Divulgação
O artista Eloir Jr. e suas obras

Imagem: Divulgação
A artista Carla Schwab e suas obras

Entre os convidados pela Embaixada da Ucrânia no Brasil e Governo do Estado do Paraná, estiveram presentes o casal de artistas Carla Schwab e Eloir Jr. representando as artes visuais, Iara e Jorge Serathiuk com as tradicionais pêssankas, Julia Regina Bertoldi da Vecela Artes (Arte ucraniana em porcelana) e Simone Popovicz com adereços típicos.
A banda do Colégio Militar de Brasília regida pelo maestro Sgt. Azevedo executou os Hinos da Ucrânia e do Brasil.

Imagem: Divulgação
Iara e Jorge Serathiuk com as tradicionais e milenares Pêssankas

Imagem: Divulgação
Julia Regina Bordun Bertoldi da Vecela Artes Ucranianas

Imagem: Divulgação
Simone Popovicz com tradicionais colares ucranianos confeccionados em tear


Entre a gastronomia eslava e o barreado paranaense, a boa música da Terra de Guairacá e as kolomeikas, a festa multicultural contou ainda com a apresentação do Grupo Folclórico Ucraniano Verkhovena de Maringá-PR, Grupo Viola Quebrada e Branco Dipaulo. A Orquestra Filarmônica de Brasília deu o tom e prestou uma homenagem aos dois países com canções temáticas.

Imagem: Divulgação
Companhia de Danças Ucranianas Verkhovena de Maringá-PR


Com um público superior a 1.200 pessoas, os visitantes tiveram o privilégio de conhecer estas duas ricas culturas que representam um pedacinho do sul deste continental País.

Há quase 130 anos, desde que os primeiros imigrantes ucranianos chegaram ao Brasil, o Paraná acolheu a maioria das famílias que partiram do velho continente em busca de uma vida melhor e mantém, até hoje, a maior concentração de descendentes de ucranianos. Esta edição do Sarau Chatô, celebrou a herança cultural e hábitos de um povo que foi acolhido na Terra das Araucárias e que muito bem preservam com orgulho uma identidade étnica ímpar, de raízes milenares que se miscigenou ao Paraná.

Imagem: Divulgação

domingo, 28 de maio de 2017

Lançamento do Livro Panifesto-À Procura do Pão Paranaense, com ilustrações de Eloir Jr. e fotografias de Carla Schwab

O Casal de Artistas: Carla Schwab e Eloir Jr.
Crédito: Andreia kaláboa
Eloir Jr. e os autores e proprietários do La Panoteca Oscar Luzardo e Claudine de Sá Botelho
Crédito: Carla Schwab

No último sábado 27/05, a La Panoteca no elegante Bigorrilho/Champagnat em Curitiba-PR, recebeu ao estilo eslavo do Paraná, isto é, com muito pão e sal, o lançamento do Livro "PANIFESTO-À PROCURA DO PÃO PARANAENSE" de Claudine de Sá Botelho e Oscar Pablo Luzardo, idealizadores do exemplar e proprietários do Espaço. O evento de caráter particular iniciou à tarde de autógrafos com os autores e a presença dos colaborares da edição, sendo eles, o casal de cineastas Guto Pasko e Andreia Kaláboa, fotógrafos, historiadores, jornalistas, o casal de artistas visuais Carla Schwab e Eloir Jr., o qual ilustrou com suas pinturas étnicas europeias algumas páginas, cujas imagens foram clicadas por Carla, entre outros convidados que se sentiram em um perfeito “Carpe Diem”.
Experiências e vivências foram trocadas e registradas pelos autores neste Panifesto. In loco colheram relatos, receitas, histórias vividas no velho continente, fotografias e as mais diversas interpretações e confecções do pão.  

O casal de cineastas: Guto Pasko e Andreia Kaláboa com o artista Eloir Jr.
Crédito: Carla Schwab

Momento dos autógrafos
Crédito: Carla Schwab


Apreciar esta obra é uma verdadeira degustação de sabores que aguçam os sentidos, uma experiência gastronômica ímpar pela história e cultura imigratória do Estado do Paraná, descritas através deste inspirador e milenar alimento, uma ode a união, seja ela familiar ou de amigos, onde todos comungam do pão nosso de cada dia.   

Esta deliciosa obra está disponível para venda na La Panoteca e em breve nas principais livrarias.

O “Panifesto-À Procura do Pão Paranaense” trata-se de um livro que compartilha um sonho, difunde uma idéia e lança um desafio.  
“Nesse manifesto, Claudine e Oscar partilham o seu processo de procura do pão paranaense, focados no sonho de ver a qualidade do pão melhorar em termos de sabor e qualidade nutricional, e do resgate do valor cultural deste alimento milenar. Eles tomam como referência a importância cultural do pão nos seus respectivos países de origem, onde também existe uma deterioração da qualidade, porém, ainda é um importante patrimônio imaterial a preservar. A idéia que tentam difundir é que existem, no Paraná, elementos para fortalecer a cultura do pão e a sua qualidade, a partir de três fatos. Primeiro, que nas últimas décadas as pessoas têm procurado produtos de melhor qualidade, a exemplo da evolução do vinho, do café e da cerveja. Segundo, que o Paraná é o celeiro do Brasil, e terceiro, que o Estado conta com uma herança cultural onde o pão tem uma forte presença nas tradições dos imigrantes. Finalmente os autores lançam um desafio para cada um procurar seu caminho para o pão paranaense, percorrendo a cadeia de produção, desde os produtores de trigo, os moinhos, os colegas padeiros, aqueles que o confeccionam em casa, e todas aquelas pessoas que, de alguma maneira ou outra, apreciam o pão”. (texto da orelha da capa)

O Livro Panifesto
Crédito: Carla Schwab

Serviço:
Onde encontrar: Na La Panoteca
Endereço: Rua Gastão Câmara, 384
Bigorrilho / Champagnat.

41 – 3339-8405